Observatório do Lazer Nocturno em Lisboa

Observatório do Lazer Nocturno em Lisboa

Em Lisboa, os setores da restauração e do lazer noturno têm adquirido, ao longo das duas últimas décadas, uma crescente importância nos processos de regeneração urbana e revitalização socioeconómica nos bairros históricos do centro da cidade como resultado da crescente interação entre (1) a intensificação do processo de turistificação do centro da cidade, (2) a consolidação de Lisboa como destino europeu de estudantes estrangeiros de ensino superior, e (3) a rápida expansão e mercantilização da vida noturna nos bairros históricos do centro de Lisboa. Com efeito, a noite constitui hoje um dos principais produtos centrais no processo de “urban branding” de Lisboa, o qual encontra-se enquadrado na recente estratégia desenvolvida pela administração local de reforço do posicionamento de Lisboa no mercado turístico nacional e internacional. Todavia, a recente e rápida expansão e mercantilização da vida noturna de Lisboa têm produzido, entre outros desafios, uma deterioração das condições ambientais relativas à habitabilidade dos bairros históricos do centro da cidade onde as atividades de lazer noturno se encontram presentes (Bairro Alto, Cais do Sodré, e Santos), tal e como tem sido largamente relatado desde o âmbito da comunicação social. Face aos crescentes desafios na governança da noite na cidade de Lisboa, o LXNIGHTS tem decidido criar o Observatório do Lazer Noturno em Lisboa.

Com 10 investigadores, 6 consultores e sob a Direcção do Prof. Doutor Jordi Nofre (CICS.Nova/FCSH/UNL e Investigador Principal LXNIGHTS), o Observatório do Lazer Nocturno em Lisboa irá realizar ao longo do biénio 2019-2020 um conjunto de atividades de investigação e intervenção comunitária que será definido por 6 eixos temáticos de trabalho de recolha de informação, análise, monitorização, discussão e proposta de novas políticas públicas.

Figura 1. Eixos temáticos de investigação e intervenção

ET-1. Consumos e práticas de risco (álcool, drogas e sexo)

ET-2. Condições quotidianas do convívio entre os diferentes grupos sociais da noite (moradores, clientes, proprietários)

 ET-3. Problemas ambientais no espaço público em horário noturno (ruido, lixo, salubridade e mobilidade)

ET-4. Condições laborais e formação profissional dos proprietários e trabalhadores formais e informais dos locais de lazer noturno

ET-5. Violência e processos de segregação/exclusão social em espaços de lazer noturno (incluindo homofobia e patriarcalismo).

 ET-6. Inter-relação e sinergias entre processos urbanos (turistificação, estudentificação, gentrificação) e lazer noturno

Em soma, o Observatório do Lazer Nocturno em Lisboa na estratégia europeia sobre cidades smart, sustentáveis e inclusivas (EUROCITIES, 2014). Nesse sentido, as ações de investigação e intervenção comunitária que irão ser realizadas através do Observatório do Lazer Noturno em Lisboa têm uma visão estratégica tripartida sobre a economia da diversão noturna, a qual será considerada como:

(a) Elemento fundamental para a promoção de um consumo de lazer e um turismo urbano sustentável em termos sociais, espaciais, económicos e ambientais;

 (b) Espaço-tempo, estratégia e mecanismo de promoção das indústrias criativas de Lisboa, nomeadamente no campo da música, “design”, e arte; e, ainda mais importante, como da divulgação do património material e imaterial;

(c) Estratégia e mecanismo para a promoção de uma diversão noturna inclusiva através da implementação de (c.1.) novos instrumentos de políticas públicas, estratégias, boas práticas e ações conjuntas institucionais e/ou comunitárias que visem um lazer noturno mais inclusive e igualitário; e (c.2.) novas ações (auto-) empoderamento dos diferentes atores do lazer noturno de Lisboa, visando conseguir uma melhor coesão social e habitabilidade nos bairros com forte presença de atividades de diversão noturna.